sexta-feira, 21 de agosto de 2015

CORÉIAS PRONTAS PARA A GUERRA! COBERTURA COMPLETA!

Cobertura completa dos acontecimentos nas últimas horas na Coréia do Norte:
- Coréia do Norte em estado de quase-guerra!
- Prazo estabelecido pelo Norte acaba sábado no início da noite (sábado de manhã no Brasil)
- Sistemas de vigilância da Coreia do Sul e dos Estados Unidos detectaram na Coreia do Norte o movimento de veículos carregando mísseis de curto e médio alcance.
- As Forças Armadas da Coreia do Sul alertaram nesta sexta-feira que os norte-coreanos devem evitar "atos precipitados", caso contrário, enfrentarão punições severas.
- As forças militares conjuntas da Coreia do Sul e dos Estados Unidos elevaram ao máximo seu estado de vigilância
- As tropas da linha de frente da Coreia do Norte concluíram a sua preparação para a ação militar contra a Coreia do Sul. Os soldados norte-coreanos estão à espera de "uma ordem de ataque"
- Japão pede que Coreia do Norte abandone "atos de provocação"
- Coreia do Sul veta acesso ao complexo de Kaesong devido a tensão militar

- Coréia do Norte em estado de quase-guerra!
Após escalada das tensões com a Coreia do Sul, Kim Jong-un põe tropas norte-coreanas de prontidão. Pyongyang exige que Seul interrompa transmissões contra o seu regime, através de alto-falantes instalados na fronteira.

O líder norte-coreano Kim Jong-un declarou nesta sexta-feira (21/08) que suas tropas estão em estado de "quase guerra" e ordenou que elas se preparassem para possíveis combates, um dia após o mais grave confronto entre as Coreias do Sul e do Norte nos últimos anos.

Kim Jong-un ordenou que suas tropas "entrem em estado de guerra" e estejam prontas para uma operação militar a partir desta sexta-feira, segundo informou a agência oficial de notícias da Coreia do Norte.

O país estabeleceu a noite de sábado como prazo para que Seul remova os alto-falantes que, após um silêncio de 11 anos, reiniciaram recentemente as transmissões de mensagens anti-Pyongyang. Os sul-coreanos afirmam que irão prosseguir com as transmissões.

A imprensa norte-coreana afirma que "comandantes militares foram despachados com urgência para as operações de ataque às instalações de guerra psicológica da Coreia do Sul, caso Seul não interrompa as transmissões".

As Forças Armadas da Coreia do Sul alertaram nesta sexta-feira que os norte-coreanos devem evitar "atos precipitados", caso contrário, enfrentarão punições severas.

Citando fontes não identificadas do governo, a agência de notícias sul-coreana Yonhap informou que sistemas de vigilância da Coreia do Sul e dos Estados Unidos detectaram na Coreia do Norte o movimento de veículos carregando mísseis de curto e médio alcance, o que poderia ser uma preparação para um ataque. O Ministério da Defesa sul-coreano não confirmou a informação.


- Coreia do Norte decreta estado de alerta na fronteira
O líder norte-coreano, Kim Jong-un, ordenou nesta sexta-feira o estado de alerta militar na fronteira, determinando que as tropas estejam prontas para o combate, após um duelo de artilharia com o Exército sul-coreano.

Segundo a agência oficial norte-coreana KCNA, Pyongyang tomou a decisão em uma reunião de emergência da poderosa Comissão Militar Central, presidida por Kim Jong-un, na quinta-feira.

Durante a reunião, Kim Jong-un ordenou que unidades combinadas do Exército Popular Coreano (KPA) estacionadas na fronteira entrem em alerta a partir das 17H00 local de sexta-feira (05H00 Brasília) para estar "plenamente prontas para o combate e lançar operações surpresa", destacou a KCNA.


- Coreia do Sul promete responder "com força" a novos ataques do Norte
A Coreia do Sul comunicou nesta sexta-feira à Coreia do Norte que responderá qualquer provocação com força, depois que o regime de Kim Jong-un ameaçou empreender novas ações militares após a troca de artilharia de ontem.

O governo sul-coreano "responderá com força a qualquer tipo de ataque norte-coreano, e será a Coreia do Norte quem deve assumir toda a responsabilidade por este tipo de ações de represália", advertiram as forças armadas de Seul às de Pyongyang em mensagem divulgada à imprensa pelo Ministério da Defesa.

As forças armadas qualificaram os disparos norte-coreanos de ontem como "provocações graves e ilegais que violam o acordo de armistício" que pôs fim à Guerra da Coreia em 1953, segundo a mensagem enviada ao Estado-Maior do Exército Popular da Coreia do Norte.

Além disso, instaram Pyongyang a "renunciar totalmente a este tipo de ações imprudentes".

Os comandantes das forças armadas da Coreia do Sul realizaram hoje uma reunião de emergência presidida pelo ministro da Defesa, Han Min-koo, que também pediu aos militares para "reagir com firmeza" perante qualquer agressão da Coreia do Norte.

Por sua parte, as forças militares conjuntas da Coreia do Sul e dos Estados Unidos elevaram ao máximo seu estado de vigilância, informou a agência sul-coreana "Yonhap', sem oferecer mais detalhes.


- Coréia do Norte: Preparação para guerra está completa!
As tropas da linha de frente da Coreia do Norte concluíram a sua preparação para a ação militar contra a Coreia do Sul, informou a mídia estatal de Pyongyang nesta sexta-feira, com o líder da Coréia do Norte declarando um estado de "quase-guerra." 

"Exército do Povo Coreano (KPA), com grandes unidades combinadas da linha de frente, entraram em um estado de guerra de uma vez, totalmente armada para lançar operações-surpresa, e acabaram a sua preparação para a ação", disse Agência de Notícias Central Coreana da Coréia do Norte.

Ele disse que os soldados norte-coreanos estão à espera de "uma ordem de ataque" para destruir seu inimigo, avisa que a guerra psicológica do Sul estão "dentro da visão de lançadores múltiplos de foguetes do KPA e as forças de foguetes táticos e estratégicos."


- Japão pede que Coreia do Norte abandone "atos de provocação"
O Japão pediu nesta sexta-feira que a Coreia do Norte se abstenha de realizar "atos de provocação" em meio à crescente tensão na península coreana depois que na quinta-feira Norte e Sul trocaram disparos de artilharia na fronteira.

O governo japonês está "muito preocupado" pelas tensões geradas pelo incidente, informou hoje o ministro porta-voz do Executivo, Yoshihide Suga, durante uma entrevista coletiva recolhida pela agência japonesa "Kyodo".

Enquanto se coordena com Seul e Washington, Tóquio está tomando "medidas necessárias", como a compilação e a análise de informação relevante, acrescentou Suga.

O ministro de Defesa japonês, Gen Nakatani, que falou separadamente com a imprensa, declarou que ainda é preciso analisar se o desenvolvimento dos eventos poderia gerar "um impacto imediato" na segurança do Japão.


- Coreia do Sul veta acesso ao complexo de Kaesong devido a tensão militar
Seul anunciou hoje que a partir desta sexta-feira passam a existir restrições no acesso dos seus cidadãos ao complexo industrial conjunto de Kaesong, localizado na Coreia do Norte, devido à tensão militar, que se agudizou quinta-feira após a troca de fogo entre os dois países.

Apenas os quadros dirigentes das empresas sul-coreanas que operam no complexo podem cruzar a fronteira, já os trabalhadores têm acesso vedado a partir de hoje, explicou o Ministério da Unificação sul-coreano. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários anônimos ou registrados estão liberados e serão moderados pelo Administrador do Blog.

Comentários envolvendo palavrões, ameaças, racismo e preconceito religioso ou sexual ou quaisquer outro tipo de ofensa, serão excluídos em respeito ao leitor.

Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...